SEM AVANÇO: Associação paraibana diz que proibição do cultivo de maconha manterá medicamentos muito caros.



A proibição do cultivo de maconha para a fabricação de medicamentos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta terça-feira (3), fez com que o maior problema encontrado pelos pacientes permaneça: o valor dos medicamentos continuará muito alto, dificultando o acesso. "Não houve avanço", diz  a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace Esperança).

"Continuamos com grande procura de pessoas que não tem como arcar com esta despesa alta", informou a Abrace, através de sua assessoria de imprensa. A decisão, porém, não afetará as atividades da associação.

A Abrace tem autorização judicial para plantio, manuseio, produção e distribuição de medicamentos a base de Cannabis para associados e continuará com a sua atividade regulamentada.

Pela alta demanda, a associação está buscando uma nova autorização judicial para expandir o cultivo, levando a plantação também para Campina Grande. "Esta autorização está demorando para ser concedida e isso limita o alcance da associação. Com o cultivo em Campina Grande, vamos poder atender a mais 10 mil pessoas e estamos precisando desse aumento com urgência".

Fonte: ClickPB

Postar um comentário

0 Comentários