NEGATIVO: Bolsonaro afirma que resultado de biópsia não apontou câncer de pele;



Em um tom de alívio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (21) que o resultado da biópsia feita por ele no início deste mês apontou que ele não tem câncer de pele.

Após passar por exames no último dia 11, o presidente disse a jornalistas que poderia ter a doença. "Eu tenho pele clara, pesquei muito na minha vida, gosto muito de atividade, então a possibilidade de câncer de pele existe."

No dia seguinte, acusou a imprensa de fazer fake news com o caso.

"Como teve uma fake news também que eu estava com câncer. Hoje de manhã deve estar rodando por aí um vídeozinho, como sempre eu converso com a imprensa, hoje a imprensa preparou a primeira pergunta e eu respondi 'não vou responder nada porque vocês disseram que eu estou com câncer, eu vou para casa'", afirmou. "É mentira em cima de mentira", disse.

Em conversa neste sábado com um grupo de jornalistas no Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que não teria problema de ser submetido a um tratamento e que, se fosse necessário, deixaria que cortassem sua orelha.

A biópsia foi feita na região da orelha esquerda, onde foi identificada uma mancha. O exame foi realizado no Hospital da Força Aérea Brasileira, em Brasília. 

"Foi feita uma biópsia e não deu nada. Se fosse um câncer, qual o problema? Falaria. Se tem de cortar a orelha, tira, pô. Não estou preocupado com isso", afirmou.

Na beira da piscina da residência oficial, o presidente disse ainda que "sempre foi relaxado" com a sua saúde. Ele ressaltou que come de tudo sem restrições e que não respeita horários de alimentação.

"Como qualquer coisa, não respeito horário, tenho insônia e, segundo o Hospital Albert Einstein, sou recordista mundial, pelo que eles entendem até agora, em apneia", afirmou. "Mas se está tudo dando certo até agora, para que mudar?"

Apesar do discurso do presidente, ele adotou cautela com a sua saúde desde que assumiu o Palácio do Planalto. Em janeiro, por exemplo, estava marcada uma viagem dele para a Antártida que cancelou por recomendações médicas.

Bolsonaro também foi convencido por seu médico particular a não pular de paraquedas no ano passado, em Goiás. Ele já havia marcado a atividade com outros militares que, assim como ele, se formaram em paraquedismo.

A saúde do presidente inspira cuidados desde que ele foi vítima de um ataque à faca, em 6 de setembro de 2018, durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

O então presidenciável foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira, que está preso. Desde então, Bolsonaro já passou por quatro cirurgias.

Fonte: FolhaPress

Postar um comentário

0 Comentários