Clique e veja agora

terça-feira, 10 de setembro de 2019

SAÚDE: Itabaiana é única cidade da Paraíba a conseguir recursos federais para atendimento de saúde de apenados.

Soraya e Flávio – Foto: Top Mídia
A cidade de Itabaiana, na Paraíba, será o único município do Estado a receber cerca de R$ 28 mil mensais, a partir deste ano, para o atendimento de saúde público de mais de 100 apenados da cidade. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, aprovou o município e mais 10 outros à Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no Sistema Único de Saúde (SUS). A portaria foi publicada nesta terça-feira (10), no Diário Oficial da União.


Uma equipe multiprofissional de atendentes será montada para cuidar da saúde dos apenados de Itabaiana, segundo a secretária de Saúde do município, Soraya Galdino. “É uma política importante para essa população que também precisa dos atendimentos da saúde. Uma vez instalada não será retirada. É um importante avanço no sistema prisional do nosso município. Eles terão agora direito a um atendimento básico e especializado, evitando doenças e agravos que prejudicavam até sua chance de ressocialização a comunidade”, afirmou.

Dessas 11 cidades que foram beneficiadas com o Sistema, cinco são de Minas Gerais, Itambacuri, Ituiutaba, Jequitinhonha, Porteirinha e Sacramento. Valença (BA), Rio Verde (GO), Rondonópolis (MT), Itapema (SC) e Barrolândia (TO), são as outras, além da paraibana Itabaiana.

Ela esclareceu que teve total empenho para conseguir a política. “A equipe que ainda escolheremos terá médico clínico e psiquiatra, além de psicóloga, enfermeira e demais profissionais da saúde”, explicou. O sistema prisional de Itabaiana é regional, por isso tem mais de 100 apenados. O local do atendimento será lá mesmo, sem precisar removê-los para qualquer lugar.

O prefeito Lúcio Flávio (PSB) está feliz com a adesão do município ao programa. “Nós já prestávamos atendimento através da equipe dos Postos Saúde da Família (PSFs) da área da cadeia. Mas agora esse atendimento vai ser ampliado através de uma equipe multidisciplinar”, concluiu.

Valdívia Costa/ PB Debate

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PESQUISE AQUI