Clique e veja agora

30/09/2019

CASAMENTO: Comarca de Itabaiana celebra casamento coletivo para 31 casais do Município.

Casais, Lideres de Igrejas e o Juiz Michel Rodrigues Amorim (Fotos: Ranys fotografo particular)
Um momento de felicidade e união em comunidade. Foram estes os sentimentos que permearam a cerimônia de casamento civil coletivo realizada na tarde desta segunda-feira (30), na Comarca de Itabaiana. Trinta e um casais disseram ‘sim’ ao amor durante celebração feita no Restaurante Finess Grill, localizado no município. Este é o segundo casamento coletivo realizado na Comarca por meio de parceria entre o Tribunal de Justiça da Paraíba e a Associação dos Notários e Registradores da Paraíba (Anoreg), com apoio de quatro igrejas evangélicas do município.

O juiz Michel Rodrigues Amorim, titular da 2ª Vara Mista de Itabaiana, foi o responsável por conduzir a cerimônia coletiva, na qual destacou a importância do comprometimento, do respeito mútuo e do cultivo do diálogo. O magistrado explicou que, juridicamente, não existe diferença entre um casamento civil singular e um comunitário. “Essa parceria com a Anoreg e as igrejas é muito interessante porque auxilia as pessoas que desejam unir suas vidas, mas não conseguem por causa dos gastos com o casamento civil”, afirmou.

Outro ponto ressaltado por ele é que a realização de casamentos coletivos acaba aproximando o Poder Judiciário local da comunidade. “Também é uma forma de ficarmos mais próximos da sociedade e celebrarmos algo que é importante e feliz para todos os participantes”, frisou Michel Rodrigues.

Por fim, o magistrado salientou que a própria rotina institucional é alterada positivamente durante este tipo de celebração. “Temos um cotidiano que envolve a realização de audiências e solução de litígios, então, o casamento coletivo se torna um momento descontraído também para os servidores do Fórum”, acrescentou. As igrejas que apoiaram a celebração foram a Batista Maranata, Assembleia de Deus Missão, Primeira Igreja Batista e Batista de Jureminha. 

Como tudo começou - A gerente do Primeiro Grau do TJPB, Maria dos Remédios Gonçalves, explicou que procurou a Anoreg para que a associação se responsabilizasse pelas taxas das certidões dos casamentos. A ideia surgiu porque, ao realizar um trabalho social em uma comunidade do sítio Jureminha, que fica em Itabaiana, ela descobriu que muitos casais tinham o sonho de oficializar a união, porém não tinham condições financeiras. 

“Então, Tereza Cristina, a pessoa responsável por esse trabalho social, me procurou para vermos a possibilidade da realização desse sonho. Foi quando entrei em contato com a Anoreg, por meio de Germano Toscano, o juiz Michel Rodrigues e algumas igrejas da cidade. Por isso, foi possível a realização da cerimônia com decoração, bolo de noiva e refrigerantes.  Estou muito feliz em poder contribuir para a realização de sonhos de 31 casais”, comentou Remédios Gonçalves.








Redação por Celina Modesto / Ascom-TJPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário